Por que Oxossi não come mel


ẹsẹ̀ Ifá – Ọdẹ ati Apáòka

- Ìtàn Àtowódowo, Ìtàn Àtowódowo
- Ìtàn Àtowódowo, Ìtàn Àtowódowo
- O oráculo foi consultado para Ọdẹ
- No dia em que ele estava indo caçar
- Òrúnmìlà disse para Ọdẹ
- Que ele deveria realizar oferendas propicias
- Para que ele não se perdesse na floresta
- Ọdẹ não ouviu, ele não realizou as oferendas
- Ele disse que conhecia a floresta muito bem
- E nunca se perderia dentro dela
- Ọdẹ foi a floresta
- Ele estava procurando uma caça
- Ele viu um rastro no chão
- Ele começou a segui-lo
- Quando Ọdẹ parou para olhar o rastro
- Ele colocou seu ofà no chão
- Ele olhou o rastro novamente
- Ọdẹ levantou-se
- Ele iria continuar a seguir o rastro
- Quando Ọdẹ foi pegar seu  ofà
- Ele não o encontrou mais
- Ele começou a procurar
- Ele procurou na frente
- Ele procurou atrás
- Ele procurou a direita
- Ele procurou a esquerda
- Ele procurou em cima
- Ele procurou embaixo
- Ọdẹ não encontrou seu  ofà
- Ele estava cansado
- Ele estava com fome
- Ele não tinha mais arma para caçar
- Ele continuou andando sem rumo
- Ele não sabia mais onde estava
- Ọdẹ viu uma árvore
- Igi Apáòka foi a árvore que ele viu
- Ele estava exausto
- Ewé jagba eram as folhas que estavam forrando o chão
- Ọdẹ deitou-se em cima destas folhas
- Ele adormeceu
- Então o que?
- Um Ilé Oyin é o que estava no Apáòka
- Oyin começou a pingar sobre a boca de Ọdẹ
- Quando ele acordou
- Sua boca estava doce
- Seu corpo estava todo coberto de mel
- Ọdẹ estava com fome
- Ele aparou o mel com as mãos
- E começou a comê-lo
- Enquanto estava comendo
- Uma fruta do Apáòka
- Caiu ao seu lado
- Quando ela caiu, ela se abriu
- Quando ela se abriu
- Um cheiro delicioso começou a exalar
- Ọdẹ começou a comê-la
- As abelhas também sentiram o cheiro
- Elas começaram a rỌdẹar Ọdẹ
- Elas também desejavam o doce da fruta
- Elas começaram a juntar
- Elas ajuntaram, ajuntaram
- Ọdẹ as espantavam com o irùkèrè
- Ele não pỌdẹ mais comê-la
- Ele viu que era da árvore dessa fruta
- Que as abelhas faziam o mel
- Ọdẹ compreendeu
- Ele ficou ali quatro dias
- Mel foi o alimento de Ọdẹ naqueles dias
- Ewé jagba foi a folha que ele dormiu em cima
- Ọdẹ recuperou-se
- Ele estava bom
- Ele já sabia como voltar
- Ele apanhou dezesseis  ewé jagba
- Ele começou a fazer o caminho de volta
- Quando ele chegou no lugar onde tinha visto o rastro
- Ele encontrou seu ofà
- Ele o guardou junto com as dezesseis ewé jagba
- Ọdẹ voltou
- Ele foi ver Òrúnmìlà
- Ele foi fazer a oferenda
- Que ele tinha recusado fazer
- Ele disse: “A partir de agora”
- Ele disse: “Nenhum caçador deverá entrar na floresta”
- Ele disse: “Sem antes realizar a oferenda prescrita por Ifá”
- Ele disse: “Todos os seus descendentes”
- Ele disse: “Não se alimentariam mais de mel”
- Ele disse: “Somente se alguém não tiver nada para comer”
- Ele disse: “E em casos de extrema necessidade”
- Ele disse: “Somente nesses casos”
- Ele disse: “Alguém pỌdẹria comer mel”
- Ele disse: “Todos os seus descendentes”
- Ele disse: “Nunca mais matariam nenhuma abelha”
- Ele disse: “ Ewé jagba seria sua principal folha”
- Ele disse: “E sempre deverá estar presente em seus rituais”
- Ele disse: “Todos os seus descendentes”
- Ele disse: “Nunca mais deveriam comer a fruta do Apáòka”
- Ọdẹ estava alegre, ele estava contente
- Ele estava cantando, ele estava dançando


Ọdẹ Aro bí ewé,
Aro bí ewé jagba,
Olówo bí ewé,
Ọdẹ Aro bí ewé jagba,
Olówó bí ewé.

O Caçador da família Aro nasce da folha
Membro da família Aro nasce da folha jagba
O Rico nasce da folha
Membro da família Aro nasce da folha jagba
O Afortunado nasce da folha

- É assim que Ifá nos fala
- Porque Ọdẹ não come mel de abelha
- Porque Ọdẹ não come o fruto do Apáòka
- E como Apáòka veio a ser o principal fundamento de Ọdẹ
- E como o ewé jagba veio a fazer parte de seu Àse
- E porque Ọdẹ e seus descendentes não matam as abelhas
- Ifá diz assim
- Ìrosùn-Òsá nos revela isso.

Fonte: "Osoosi e Esu, os Orisas Alaketu" in: BARRETTI FILHO, Aulo. Dos Yoruba ao Candomblé Ketu, São Paulo, 2010, pg. 109

Itan Oxossi Oxóssi

Baixe nosso Aplicativo